O que é governança de TI e como essa solução auxilia as PMEs - Blog - iamit

Quando falamos em governança de TI, não estamos nos referindo apenas a um setor específico dentro de uma organização. Afinal, em um mundo cada vez mais dominado por tecnologias, a gestão de pequenas e médias empresas depende cada vez mais de inovação e investimentos na área. 

Desse modo, a Tecnologia da Informação exerce um papel fundamental a partir das possibilidades que ela promove. Nesse sentido, vale dizer que a governança de TI é essencial para o sucesso de qualquer negócio, seja ele grande ou pequeno.

Esse conjunto de práticas orienta a tomada de decisão e atua como forma de gerir os processos de gestão (podemos chamar, assim, de “gestão da gestão”), com foco em objetivos e metas da empresa como um todo. 

Para um CIO, o conceito de governança corporativa deve prevalecer, pois é através dele que se estabelecem padrões, práticas e relações entre os diferentes níveis hierárquicos. Mesmo nas PMEs, é importante delimitar ações estratégicas em diferentes setores organizacionais – financeiro, comercial, marketing, RH e produção.

Confira a seguir de que forma a governança de TI pode auxiliar sua empresa e ser uma solução eficaz para o melhor desempenho dos negócios.

Governança de TI: o que é?

Podemos definir governança de TI como a área que rege a tecnologia da informação, controlando ações e resultados para que estejam alinhados com o objetivo da empresa. 

Para isso, é fundamental que as diretrizes da TI sejam seguidas, alinhando processos em todos os departamentos. Tais diretrizes, por sua vez, devem atuar como um braço das diretrizes corporativas.

De modo mais objetivo, a governança de TI significa liderar todas as áreas nas quais a tecnologia da informação atua, de modo a garantir que as estratégias e objetivos do negócio se sustentem.

Por se tratar de um desdobramento da governança corporativa - e que não está necessariamente sujeito a ela - pode ser considerada um mecanismo que estabelece regras e controle envolvendo a TI. 

Desse modo, é possível monitorar o cumprimento das normas, direcionando para um alinhamento estratégico que, entre outras coisas, diminui os riscos aos quais o negócio está exposto.

Governança de TI x Gestão de TI

Apesar de a governança de TI estar diretamente ligada à gestão da tecnologia, há algumas diferenças significativas entre elas. Vejamos alguns pontos sobre governança e gestão de TI que as diferem:

Governança de TI 

  • direciona os processos;
  • monitora o cumprimento das regras.

Gestão de TI

  • mantém o desempenho dos serviços;
  • realiza a gestão da equipe;
  • atua na transformação digital;
  • trabalha para a satisfação dos usuários.

 

Ou seja, na gestão de TI encontramos um trabalho mais técnico, voltado à execução e desempenho de tarefas, equipe e resultados. Enquanto na governança, há o sentido de governar, dirigir os processos que envolvem a tecnologia da informação dentro da empresa.

Como a Governança de TI auxilia as PMEs

Do mesmo modo que nas grandes corporações, a governança de TI pode transformar os negócios dentro de uma pequena ou média empresa. A partir da implantação de mecanismos que assegurem um controle mais abrangente dos processos, é possível estruturar os diversos setores, garantir que as legislações sejam respeitadas e, assim, dar mais segurança ao negócio.

Nesse sentido, investir em projetos de TI permite a evolução do negócio. Para as PMEs, isso significa maior competitividade e ganho de mercado. Em mundo no qual a tecnologia é cada vez mais predominante, não há como ignorar que a governança de TI precisa ser vista como um dos alicerces da empresa.  

Confira de que modo essa ferramenta pode auxiliar o desenvolvimento das PMEs:

Riscos reduzidos

Um dos principais pontos de contribuição para uma pequena ou média empresa que adota a governança de TI é a possibilidade de mitigar os riscos inerentes ao negócio.

Num mercado cada vez mais competitivo em todas as esferas, obter um controle das vulnerabilidades significa trabalhar na prevenção de erros e falhas que podem comprometer o andamento dos trabalhos.

Assim, a gestão dos riscos a partir da governança de TI permite que a segurança de dados seja constantemente avaliada. Somente dessa forma é possível mapear a criticidade dos processos e elaborar um plano de contingência e recuperação mais eficiente.

Mais segurança das informações

Quando falamos em tecnologia da informação, automaticamente vem à tona a questão da segurança. Um grande volume de dados gerado por uma empresa exige um nível elevado de infraestrutura, com aplicações e ferramentas que proporcionem um controle total das operações.

E a governança de TI atua justamente no topo da gestão, fazendo com que as tecnologias sejam cuidadosamente gerenciadas e trabalhando em projetos de investimento em ferramentas de segurança.

Otimização de custos

Seja qual for o setor de atuação da empresa, o controle dos custos é fundamental, especialmente quando se trata de PMEs. Geralmente, empresas de menor porte trabalham com menor margem de lucro e precisam otimizar os custos da operação.

Através da governança de TI é possível avaliar os recursos de tecnologia disponíveis e antever as necessidades da empresa a curto, médio e longo prazo. Portanto, governar a TI também significa promover o uso consciente dos recursos.

Melhor aproveitamento tecnológico

Se pensarmos a governança de TI dentro da empresa como a governança de uma cidade, fica claro entender o seu papel na melhoria da gestão. Quando citamos o aproveitamento de recursos e a otimização dos custos, também estamos falando em aproveitamento tecnológico. 

Portanto, o papel do CIO é compreender a tecnologia da informação de maneira mais abrangente e saber direcionar as tecnologias para os pontos nos quais elas são melhores aplicadas e capazes de gerar mais resultado.

Maior competitividade para a empresa

Um dos benefícios da governança de TI para PMEs está no aumento da competitividade. Pois ao assegurar menor risco e, consequentemente, maior segurança, automaticamente o negócio passa a ser visto como mais organizado.

Esse alinhamento de estratégias que a governança de TI permite demonstra a maturidade da empresa, independente do seu porte. É o sinal de que existe uma preocupação com os resultados e que os objetivos estão alinhados entre os setores e equipes.

Além disso, a otimização dos processos cria oportunidades de investimento, pois também promove a redução de custos operacionais, permitindo o redirecionamento dos recursos e o impulsionamento do negócio.

Como aplicar a Governança de TI na sua empresa

Apesar de não ser tão complexo quanto se imagina, o processo de implantação da governança de TI exige empenho e um certo tempo de espera. Isso porque à medida que vão sendo executadas, as ações constroem e aperfeiçoam os processos de gestão dentro da empresa.

Para começar, é preciso definir um plano estratégico de TI inspirado em boas práticas de governança, que pode ser construído com base em dois pilares:

  1. planejamento de estratégias voltadas ao crescimento do negócio;
  2. execução de ações práticas voltadas à continuidade do negócio.

A partir da daí, a gestão de TI atuará no gerenciamento dos projetos. E a governança será responsável por garantir que essa gestão percorra o caminho certo até alcançar os objetivos e metas traçados.

 

Todavia, a padronização de processos é necessária para manter um fluxo das atividades e aumentar o desempenho das equipes.

Para auxiliar e agilizar a implantação da governança de TI numa pequena ou média empresa, a utilização de frameworks, que são modelos que podem indicar as melhores práticas de acordo com as especificidades do negócio, permitem que o processo ocorra de modo mais assertivo.  

Gostou do conteúdo? Então entre em contato conosco e agende uma reunião para saber como nossas soluções podem auxiliar sua empresa!

 

Compartilhe esse artigo:
comments powered by Disqus